11. LOUVOR A TI QUE NOS TRAZES A LUZ

Indegard von Bingen (1098-1179)
O ignis Spiritus Paraclite
Tradução: Pe. José Artulino Besen

Ó fogo do Espírito Paráclito,
vida da vida de toda criatura,
és santo, tu que vivificas as formas.
És santo, tu que enfaixas com bálsamos
as fraturas doloridas,
santo, tu que enfaixas as feridas engangrenadas.
Sopro de santidade, fogo de amor,
doce sabor nos corações
e chuva nas almas, perfumado pelas virtudes.
Fonte puríssima na qual se vê Deus
que busca reunir os estrangeiros e procurar os extraviados.
Couraça de vida, esperança de união de todos,
depurador da beleza, salva as tuas criaturas!
Guarda aqueles que o inimigo aprisionou
e liberta a todos que estão aprisionados,
aquele que a divina potência quer salvar!
Ó caminho seguríssimo, que percorres todos os lugares,
pelos montes e pelas planícies e pelos abismos,
para avizinhar e reunir todos os seres.
Graças a ti as nuvens correm, o ar plana,
as pedras se cobrem de umidade,
as águas se tornam córregos
e a terra sua a linfa verdejante.
E ainda é tu quem sem cessar conduz os doutores
e os inebrias de alegria
através da inspiração de tua sabedoria.
Eu quero louvar-te
pois fazes ressoar os louvores e alegras a vida:
a ti a esperança, a honra e a força.
Louvor a ti que nos trazes a luz.

→ Voltar ao Índice

%d blogueiros gostam disto: