A SABEDORIA QUE VEM DA CRUZ

«Completo, em minha carne,
o que falta às tribulações de Cristo
pelo seu Corpo, que é a Igreja»
(Cl 1,24)

A Cruz - Andy Wahrol

A Cruz – Andy Wahrol

Ninguém deve querer sofrer, mas também ninguém escapa do sofrimento. A fragilidade moral, física e emocional é companheira de toda a vida. É quase impossível imaginarmos que uma pessoa passe pela vida sem ter carregado alguma cruz. Inclusive podemos dizer, sem medo de errar, que uma pessoa que nunca sofreu sabe muito pouco da vida. Nem é capaz de dar conselho! De que modo confortar uma pessoa que sofre, se nunca se sofreu? Um exemplo: quem nunca passou pela experiência da morte de um ente queridoé capaz de se aproximar de uma mãe que chora o filho morto e destilar‑lheum discurso sobre a conformidade com o sofrimento, o que é inútil e até ofensivo. Por outro lado, quem viveu essa experiência, permanecerá silencioso ao lado da mãe enlutada, pois sabe que nenhuma palavra serve para quem está dilacerado pela dor.

Nós podemos sofrer ou revoltados ou dando um sentido redentor ao sofrimento: como que Cristo não sofreu tudo na cruz. Deixou um pouco para nós. São Paulo diz que completamos em nossa carne o que falta aos sofrimentos de Cristo pela salvação do mundo (Cl 1,24). Podemos oferecer nosso sofrimento por aqueles que não sabem sofrer, por aqueles que não aceitam Deus. Um sofrimento solidário e redentor.

Tem mais, porém. A dor é grande mestra para nossa vida: faz‑nos mais humildes, coloca‑nos em nossa verdade de pó e cinza, onde não tem muito sentido a vaidade: “Tudo ia de vento em popa… e a cruz veio mudar a direção dos acontecimentos”, choramos decepcionado.

A dor, com a solidão que produz, nos faz valorizar mais o que realmente conta: as pessoas que nos cercam. Vivíamos insensíveis, pensando apenas nos nossos projetos e sonhos. E no sofrimento podemos perceber quanta gente quer o nosso bem, torce por nós, fica de nosso lado. E nós que não víamos ninguém ao nosso lado…

Quando pensamos que o dinheiro resolve tudo, a cruz e a doença nos explicam com muita clareza que o maior bem é a vida, e não o lado material que a rodeia. Que adiantam tesouros para um canceroso vivendo os últimos dias!?

A dor nos ensina a viver com intensidade cada dia. Não amontoar tesouros para um futuro que nem sabemos se existirá. Sermos prudentes, é claro, mas viver hoje o dia de hoje, como se fosse o último. Amar as pessoas como se fosse o último dia que as temos entre nós.

Quanta sabedoria vem pela cruz! Pode acontecer que sejamos visitados por ela, e nada aprendamos. Mas, se quisermos, sairemos muito mais amadurecidos para a vida após o sofrimento físico, ou moral, ou psicológico. Nele veremos a visita carinhosa de Deus nos admoestando a cultivarmos os verdadeiros valores. Não foi por acaso que Jesus quis‑nos salvar pela cruz. Foi porque toda cruz é redentora, toda cruz purifica. Lutemos para vencer a dor, mas, enquanto ela nos visita, aprendamos com ela a grande lição da vida, da verdadeira vida.

Anúncios

, , , ,

  1. #1 por Roberto em 26 de outubro de 2009 - 20:22

    Que eu possa refletir com este texto, sobre a minha Cruz.Para que alcance com ela minha Salvação.
    Obrigado, e sua Benção Pe. Jose.

%d blogueiros gostam disto: