O QUE É PERDOAR?

“Não tem compaixão para com o homem, seu semelhante, e ousa pedir o perdão de seus pecados?” (Eclo 28,4)

O Filho Pródigo – Arturo Martini

Perdoar é um dos mais nobres gestos de que é capaz o ser humano. E também um dos mais difíceis. Quem sabe perdoar, praticamente atingiu a perfeição, pois viver sem ódio, sem mágoa, livre de todo ressentimento é possuir a verdadeira sabedoria de viver. Acima de tudo, quem sabe perdoar compreende de modo pleno uma das maiores necessidades do ser humano: ser perdoado sempre. Se errar faz parte da fraqueza humana, ser perdoado é o único caminho para ser redimido do erro. Quem não recebe o perdão, praticamente está impossibilitado de se recuperar. Negar o perdão é condenar o que errou a permanecer no erro.

O que é perdoar? É admitir que a fraqueza humana esteja sempre presente, mesmo na pessoa que vive na mais reta intenção, e que o erro de hoje necessariamente não se repetirá amanhã. Assim, perdoar é oferecer à pessoa um crédito de confiança: “Você errou. Eu o perdôo, ofereço‑lhe uma nova oportunidade. Aquilo que você fez não existe mais. Você é uma nova criatura, com nova chance”.

Como é bom, num momento de fraqueza, receber uma nova oportunidade! Ter gente que confia em nossa recuperação! Quando um pai perdoa ao filho o erro cometido, lhe está dizendo exatamente isso: “Meu filho, você errou. Mas você pode ser diferente. Conte comigo”. Por outro lado, não o perdoando, estará dizendo: “Meu filho, você não tem jeito mesmo. Não conte mais comigo”. É o caminho mais fácil para fazer com que o filho não lute mais para superar as próprias limitações. É condená‑lo a repetir o erro.

Todos nós, praticamente, já vivemos esta gratificante experiência de termos sido perdoados em momentos de fraqueza. Foi esse perdão fraterno que nos deu ânimo para reiniciar o caminho. Por outro lado, também já passamos pela dolorosa experiência de termos errado e não recebido o perdão reanimador. Foi muito difícil, então, recolher forças para recomeçar! Pareceu até que os outros tinham prazer em que permanecêssemos nos erro, em nos ver atolando sempre mais.

Perdoar é reconhecer a quase infinita capacidade do ser humano de se regenerar. Por pior que alguém seja, a chama da bondade nele não está extinta. Basta um pequeno sopro, e a chama brilha com força. Transforma‑se em labareda. Assim como ninguém é totalmente bom, ninguém é totalmente mau.

Perdoar é participar da misericórdia divina, que faz o sol brilhar sobre justos e injustos. Quanto maior o pecado, mais intensa a presença amorosa de Deus. Saber perdoar é ser capaz de realizar o mais divino dos gestos para com o ser humano: o gesto do perdão.

Anúncios

, , , , ,

  1. #1 por ROBERTO em 26 de agosto de 2009 - 21:23

    Como é bom perdoar, como é bom ler os artigos postatos aqui.

  2. #2 por anne em 18 de dezembro de 2011 - 10:06

    Bom, eu gostei muito. Vai ajudar na palestra que tenho que dar.

  3. #3 por Gilberto Henrique de Albuuerque em 15 de janeiro de 2012 - 09:58

    Parabéns! Esta é, de fato, uma forma concreta de explicar o perdão. Jesus sempre nos perdoou. Jesus sempre acredita em nós.

  4. #4 por Ana em 19 de janeiro de 2012 - 00:03

    Maravilhoso este texto! Que bonito, do fundo do coração e da alma, este sentimento… Eu li, reli, li de novo e continuo lendo, queria aprender. Já ja perdoei tantas coisas, tantas coisas sérias, tantas bobagens, tantas besteiras… Mais me pergunto: Como perdoar uma pessoa que fez tão mal a você? Como perdoar uma pessoa que fez muito mal a sua familia? Eu quero perdoar, eu quero esquecer… Mais como????

  5. #5 por José Artulino Besen em 20 de janeiro de 2012 - 05:43

    Ana, o ato de perdoar não deve ser confundido com o sentimento. Se você quer perdoar, já perdoou. O que fica é o sentimento pela ofensa, mas nós não temos domínio sobre os sentimentos. Rezar pela pessoa, querer-lhe bem é um belo ato de perdão.

    • #6 por LUIZ HELENO em 22 de julho de 2012 - 01:34

      Como assim perdoar e como descupar, não entendo, padre, me explique.

    • #7 por Regina em 16 de janeiro de 2013 - 23:54

      Padre, me sinto menos mal depois que li esse comentário! Eu sempre fiz essa confusão entre sentimento de mágoa e o perdão. Então, se eu desejo o bem, significa que eu também consigo me perdoar? Recomeçar sem culpas?
      Regina

      • #8 por José Artulino Besen em 17 de janeiro de 2013 - 09:32

        Regina, é uma tristeza a confusão entre sentimento e perdão. Sentimento não é bom nem mal, pois não depende de nós. Perdoar podemos e devemos, especialmente a nós mesmos. Somos muito duros com nossas fraquezas pessoais. Às vezes isso pode ser fruto de uma vaidade, achando que nossa imagem saiu prejudicada. Seja generosa consigo. Querer perdoar é já perdoar.

  6. #9 por Fátima Medeiros. em 7 de fevereiro de 2012 - 13:30

    Perdoar,uma e única virtude o PERDÃO, nesse momento de reflexão quando se faz uma preparação para perdoar, em 1º lugar estamos-nos também alcançando a graça da misericórdia, bem esclarecido quando rezamos. “Pai nosso que estais no Céu, santificado seja o Vosso Nome, venha a nós o Vosso reino, seja feita a Vossa vontade, assim na terra como no Céu. O pão nosso de cada dia nos dai hoje; PERDOAI-NOS AS NOSSAS OFENSAS,ASSIM COMO NÓS PERDOAMOS A QUEM NOS TEM OFENDIDO, e não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal” Amém. Nos trais a certeza de que temos que nos preparar para o ato do perdão, tem que ser algo precioso que queremos para nós mesmo, e para o nosso PAI ETERNO.

  7. #10 por José Davi Fred em 3 de julho de 2012 - 21:08

    É um texto muito profundo eu gostaria de ler o mesmo no programa de radio a voz do santissimo , se o senhor me permetir, e se o senhor tiver algo que fale sobre dízimo pois este é o nosso tema principal do programa .o programa pode ser ouvido pela internet http://www.conceicaofm.com.br

    • #11 por José Artulino Besen em 4 de julho de 2012 - 06:13

      Olá, Davi:
      fico contente que tenha lido o texto. Pode fazer dele o uso que quiser. Pe. José

      • #12 por José Davi Fred em 4 de julho de 2012 - 19:46

        Boa noite Pe. José muito obrigado .
        O horario do programa é das 9:00h as 10:00h todas as sextas

  8. #13 por Luiz Heleno em 28 de julho de 2012 - 02:15

    eu li e leio todos que o senhor mandar

  9. #14 por deodaato Lopes da Silva em 28 de julho de 2012 - 07:22

    Eu me questiono muito a respeito do perdão. Pergunto eu: Se uma pessoa me faz uma grande ofensa, por exemplo: no mundo de hoje a violência está generalizada, uma pessoa amiga, como um irmão, não é filho. vive com a gente em todos os momentos, faz o pior possível com um ente queridíssimo meu. O que é perdoar neste caso? Esta pessoa é pra continuar comigo como se nada tivesse acontecido. Perdoar é a amnésia tomar conta da minha memória e eu nunca mais me lembrar da ofensa? Não consigo rezar o Pai Nosso. Perdao é como um pesadelo acordou volta tudo ao normal. É isso? Haja santidade. Mas Deus é Deus, pra Ele na é impossíve.Todo dia peço que transforme meu coração, em um coração amigo, bondoso, caridoso, complacente e misericoedioso. Amém.

  10. #15 por Gianello em 1 de dezembro de 2012 - 10:33

    Por muito tempo eu me perguntei o que era perdão, até que me dei conta de que perdoar o outro era perdoar a mim mesma. A minha maior recusa ao ato do perdão era de que eu ficaria ainda mais fraca que antes. Para mim, não perdoar era uma forma de me armar contra novas ofensas. Eu guardava ressentimentos para que estes me lembrassem de não confiar nos outros novamente. Isso funcionou por algum tempo, mas pouco a pouco fui me isolando e me achando tão superior a todos que não suportava mais nem a presença dos meus. Perdi a minha identidade, perdi a fé nas pessoas, perdi o contato com o próprio Deus. Enfim, foi preciso cometer essa “baita ofensa” contra meu pobre ser para compreender o seu sentido e querer o perdão.

  11. #16 por Arinete Souza Lima em 3 de janeiro de 2013 - 11:20

    Não conseguia perdoar, mas um dia tive um encontro na dor, foi onde aprendi a ver que Jesus estava comigo. Foi um encontro em que o Senhor me ensinou a ter um coração bondoso, humilde, paciente, caridoso e misericordioso, antes prepotente e possessivo. Obrigado Jesus, e aos sacerdotes Pe. Antonio Nelson, Pe. Clemente e Pe. Luiz Fernandes que me orientou espiritualmente. Hoje, recebo muito neste texto que acabo de ler, para a continuação, para viver na missão do perdão, viver em Cristo. Eu aprendi a amá-Lo. Obrigado, Pe José, um abraço fraterno.

    • #17 por José Artulino Besen em 3 de janeiro de 2013 - 17:21

      Arinete, como a graça de Deus age, devagar, mas continuamente até vencer as barreiras que nós mesmos colocamos. Perdoar é um dos primeiros passos do amor, por isso o mais importante e difícil. Continue a perdoar.

  12. #18 por Deodaato Lopes da Silva em 17 de janeiro de 2013 - 14:58

    Para mim, perdão é apagar a ofensa. Desculpa é jogo de cintura. Para mim, o perdão não é um atributo humano. Para o humano perdoar, há necessidade da intervenção divina transformando este humano. Para Deus nada é impossível. Eu, lendo Lucas 23,33-35: chegados que foram ao lugar chamado calvário, ali o crucificaram, como também os ladrões, um a direita outro à esquerda. ” E Jesus dizia: Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem. Por que Jesus não disse: eu os perdoo meus irmãos! Para mim, o que prevaleceu naquele momento foi a parte humana de Jesus. Como em Lucas (22, 42-43): Pai, se é do teu agrado, afasta de mim este cálice… Quer dizer, diante da suprema angústia, a humanidade de Jesus aflorou. Continuo pedindo ajuda divina pra transformar este meu coração, num coração bondoso, complacente e misericordioso, para que um dia eu reze o Pai Nosso concluindo:… “assim como eu perdoo os que me têm ofendido, e não me deixeis cair em tentação, mas livrai-me do mal. Amém”. Com convicção e não balbucio. Esta é minha opinião.

    • #19 por José Artulino Besen em 17 de janeiro de 2013 - 16:14

      Deodaato, perdoar é um atributo divino e humano, pois Deus nos fez à sua imagem e semelhança. Você escreve que perdão é apagar a ofensa, e isso significa cancelar todo instinto de vingança. Mas, permanece em nós, por muito ou pouco tempo, o sentimento, o sentir ferido, e isso apesar de perdoarmos de todo coração. Às vezes, precisamos pedir que o Senhor perdoe em nosso lugar, em nós, tal é a dor da ofensa.

%d blogueiros gostam disto: