PODEMOS SER O QUE REZAMOS

«Em todas as circunstâncias a presentai a Deus as vossas preocupações, mediante a oração» (F1 4,6).

Os «Staretz», monges russos, alimentavam sua espiritualidade repetindo, o tempo todo, uma mesma jaculatória:

«Senhor Jesus, Filho de Deus, tem piedade de mim pecador!»

Um deles, no século passado, viveu dezenas de anos repetindo mentalmente:

«Jesus, Filho de Deus, Salvador, tende piedade de mim, pecador!»

Esta repetição produziu nele a paz interior através do reconhecimento da própria condição de pecador, mas com a certeza de ter a salvação pelo nome de Jesus.

Jaculatória é uma invocação, uma prece curta, repetida sozinho ou com outras pessoas. Na espiritualidade pessoal, ela tem o mérito de ir-nos transformando interiormente segundo a oração que fazemos. Se, durante o dia, repetirmos continuamente «Jesus, manso e humilde de coração, fazei o meu coração semelhante ao vosso», é quase certo que a mansidão e a humildade de Jesus tomarão conta de nosso ser. De tanto chamarmos Jesus de «manso e humilde», receberemos dele estas duas virtudes, fundamentais na imitação de Cristo.

Como é verdade que somos aquilo que pensamos, também é verdade que somos aquilo que rezamos. Pensando sempre no nome de Jesus, ele fará sua casa dentro de nós. Recordar um nome, é trazer a pessoa até nós, é senti-la perto de nós, dentro de nós. Repetir continuamente um pedido, multiplica nossa força e disposição para realizarmos o que pedimos.

Isso vale também em sentido negativo. Se, ao lembrarmos de uma pessoa com a qual não convivemos bem, repetimos mentalmente seus defeitos, quando nos encontrarmos com ela estamos prontos para agredi-la. E assim, aumentar a dificuldade de qualquer reconciliação.

São Serafim de Sarov

São Serafim de Sarov

A jaculatória, prece curta e fervorosa, é grande arma para a vida cristã. Dizendo «Doce Coração de Maria, sede minha salvação», estamos buscando a mesma doçura da Mãe de Jesus. Orando muitas vezes «Creio, Senhor, mas aumentai minha fé!», veremos que esse dom de Deus estará sempre mais fortalecido em nossa vida.

A grande prece cristã é o nome «Jesus». Esse nome tem poder em nós. É um nome que faz com que confrontemos nossa vida com a dele. Quanto mais repetirmos «Jesus», mais Jesus poderá nos ajudar. É o nome pelo qual somos salvos, diante do qual todo joelho se dobra no céu, na terra e no inferno (Fl 2,10). Repetir o nome «Jesus» é reafirmar continuamente seu poder: «Deus me salva».

Cada um de nós sabe do que mais precisa para viver melhor a própria fé. Transformando essa necessidade numa prece, a ser repetida todos os dias, estará recebendo de Deus o que pede. A oração nos traz o poder transformador do Espírito Santo. É ele que em nós desperta a lembrança, a recordação de Deus. Faça a experiência!

Anúncios

, , ,

%d blogueiros gostam disto: