A PESSOA, CENTRO DA EXISTÊNCIA HUMANA

mta%20e%20maria

Marta e Maria (Mosaico “Redemptoris Mater “- Roma)

«Marta, andas muito inquieta
e preocupada com muitas coisas!
»  (Lc 10,40)

Nos seus momentos de descanso, Jesus privava da amizade dos irmãos Marta, Maria e Lázaro. Era em sua casa, em Betânia, que descansava, cultivando a amizade humana. No Evangelho, esses três irmãos são ocasião para Deus revelar seu poder: Lázaro é ressuscitado dos mortos, Marta proclama que Jesus é a ressurreição e a vida e Maria é a primeira a contemplar o Senhor ressuscitado.

Certo dia, Jesus percebeu algo estranho ao chegar para visitá-los. Marta, boa dona de casa, não perdeu tempo: foi direto para a cozinha preparar uma boa ceia, e fazer as últimas arrumações. E Maria, ficou na sala, escutando a Jesus.

Minutos depois aparece Marta, de mau humor:

— «Senhor, achas certo que eu fique sozinha na cozinha, enquanto Maria fica aí te escutando, sem fazer nada?»

Jesus a repreende:

— «Marta, Marta! Andas muito preocupada com muitas coisas. Mas te esqueces do principal: receber-me, escutar-me. Maria escolheu a melhor parte”.

Jesus coloca o problema em seus termos certos: primeiro a visita, depois a comida; primeiro a pessoa, depois o trabalho. Sua visita era para conversar, escutar, descansar. Não viera visitar uma cozinha, e sim, pessoas amigas.

Na tradição, Marta representa o trabalho; Maria, o diálogo, o silêncio. Marta, os que vivem apenas para o trabalho; Maria, o sentido da amizade, do «perder tempo» com os outros, a contemplação.

Fazemos muitas coisas que não são tão importantes. E nos esquecemos do essencial: o que adianta casa muito bonita, arrumada, banquete pronto, se não há amigos para disso compartilhar? Qual a graça de uma casa tão arrumada, que os filhos não podem pisar no chão? Que sala de visitas é essa, se não pode ser usada, pois os tapetes ficarão sujos? A que serve o casal pensar muito em boa residência se um não reside no coração do outro?

Não compensa estar acompanhado de grandes riquezas, se não temos a companhia amiga das pessoas. Não adianta habitar grande mansão não visitada por ninguém.

Jesus disse a Marta que «uma só coisa é necessária, e Maria escolheu a melhor parte». Poucas coisas são necessárias, e a melhor parte da vida é a amizade, a compreensão, o apoio mútuo, saber que há pessoas ao nosso redor. O trabalho é fundamental, mas primeiramente vem a pessoa humana. A família precisa de nosso suor, mas necessita ainda mais de nossa presença gratuita, atenciosa, solidária.

Unir trabalho e silêncio, ocupação e lazer. O que enche o coração é sabermos que amamos e somos amados, que há alguém desejando nossa felicidade, preocupado conosco.

Não esquecer que há um amigo sempre batendo à nossa porta, e que não entra se não mandarmos: é Jesus Cristo, o Salvador, que também quer morar conosco, fazer parte de nossa família.

Anúncios

, , ,

%d blogueiros gostam disto: