CORAÇÃO DE JESUS, FONTE DO AMOR

Sagrado Coração de Jesus

Sagrado Coração de Jesus

Na espiritualidade cristã e na linguagem simbólica, o coração é o centro do ser humano, a raiz da inteligência e da vontade, o ponto onde nasce e para onde converge o sentimento humano. É a fonte donde jorra a vida espiritual do homem e o ponto de encontro com a fonte da vida, Deus. Um coração purificado permite “ver” Deus.

Quando rezamos “Das profundezas, Senhor, a vós eu grito” (Sl 129,1), estamos rezando “Do fundo do meu coração, na verdade de minha existência, Senhor, a vós eu grito”. Quanto maior a profundidade de nosso sentimento, maior nossa proximidade com Deus. A fé que nasce dos abismos do coração é como as árvores velhas, com raízes profundas, que não são facilmente derrubadas pela tempestade.

É no coração que se formam as imagens que conduzem nossa vida. A mente cria as idéias, é verdade, mas elas não conseguem motivar um caminho. As imagens, os sentimentos, sim.

A tradição bíblica é rica no associar o amor de Deus por seu povo com a figura do coração do amante enternecido.

E Jesus é o “caminho” para o Pai (cristocentrismo pedagógico): chegamos a Deus através do caminho de Jesus, um caminho sempre misericordioso, um caminho nascido do coração que nos revela o coração de Deus. Vendo a multidão, ficou tomado de compaixão (Mt 9,36) e num dia convidou-nos: “Tomai sobre vós o meu jugo e recebei minha doutrina, porque eu sou manso e humilde de coração e achareis o repouso para as vossas almas (Mt 11, 29). A vida de Jesus foi a vida de seu coração manso, humilde e misericordioso, tão lembrado de todos nós que pedimos que faça nosso coração – nossa vida – semelhante ao seu.

Toda essa espiritualidade desemboca na mais profunda devoção cristã: a devoção ao Sagrado Coração de Jesus, devoção ao coração de Deus.

Numa dessas grandes intuições da piedade católica, simboliza-se e se retrata o Filho de Deus com o peito aberto, ardendo em chamas, onde seu coração pede que aceitemos o amor, implora que aceitemos o convite de morarmos dentro dele: um coração quente, acolhedor, amoroso, o coração de Jesus, abrigo para todas os filhos de Deus. O Coração de Jesus, o melhor retrato do amor trinitário, o amor de Deus.

Na Idade Moderna, foi essa devoção o contrapeso vitorioso às tendências rigoristas (jansenistas) que tendiam a seduzir os cristãos: uma fé fundada na imagem de um Deus inacessível, juiz implacável, insensível. Uma fé que afirmava ser a comunhão eucarística não desejável, a não ser uma vez ao ano, pois dela todos eram indignos. Diante de Deus, apenas penitência, adoração, temor. Para se opor a isso, o coração cristão encontrou a resposta no Coração de Jesus: é verdade, Deus é justo, santo, onipotente, mas ele se revela em Jesus como um imenso coração. Podemos dele nos aproximar com toda a confiança, pois é ele quem nos convida a cearmos com ele.

Neste mês de junho celebramos a festa do Sagrado Coração. No mundo todo, os 35 milhões de zeladores e associados do Apostolado da Oração se alegram em poder difundir e viver a devoção ao Coração de Jesus, ajudando a alimentar e fundar comunidades misericordiosas, a gerar uma Igreja que tenha como missão viver a misericórdia.

  1. #1 por larissatolls em 22 de setembro de 2011 - 13:49

    Poderia me informar o autor da imagem que ilustra esse texto?

    • #2 por José Artulino Besen em 24 de setembro de 2011 - 17:49

      Larissa, essa imagem é copiada de tantos santinhos que se distribuem pelas igrejas. Não saberia dizer o autor. É uma imagem bela da piedade popular.
      Pe. José

%d blogueiros gostam disto: