Palavra e Eucaristia: Alimentos do Peregrino

Palavra e Eucaristia

Palavra e Eucaristia

Enternecido por seus filhos, Deus julgou que talvez lhes tivesse dado riquezas demais e eles não estariam sabendo bem o que fazer com tudo o que tinham recebido através de seu Filho Jesus Cristo. Dirigiu-se ao deserto para encontrar-se com o mais santo e sábio dos anciãos. E fez-lhe uma proposta: “Meu Filho deu-lhes a Bíblia e a Eucaristia. Penso que é demais para vocês. Em nome de todos, você faça a escolha: querem ficar com a Bíblia ou com a Eucaristia?”  E o ancião, de face transfigurada pelos anos de oração e contemplação, não hesitou: “Queremos ficar com a Bíblia!” E o Senhor ficou muito admirado com tamanha sabedoria, pois querendo a Bíblia, a humanidade permanecia também com a Eucaristia. Uma não existe sem a outra!

A comunidade cristã tem nas Escrituras o fundamento sólido para edificar sua vida de fé e caridade e na Eucaristia o alimento do peregrino que busca a casa definitiva. A Palavra é Cristo e Cristo é a Palavra. A Bíblia sem Cristo é sabedoria religiosa e Cristo sem a Bíblia não passa de um mestre religioso.

Não lemos a Bíblia como um livro do passado, ou como um receituário ético para a construção de uma nova sociedade. A Palavra de Deus transcende toda a realidade e possibilita trazer o céu à terra, armar a tenda divina entre a tenda dos homens. O que nos fascina na Palavra revelada é reviver a vida concreta de pessoas, por Deus dadas a nós a fim de que vivamos a mesma experiência.

Cada um de nós é Adão e Eva diante da árvore da vida, na tentação de excluir Deus. Somos Abel oferecendo o melhor sacrifício e padecendo a inveja do irmão mesquinho. Somos Abraão, apostando toda a existência ao ouvir o chamado obscuro e luminoso: “Sai da tua terra e vai para uma terra que eu te mostrarei” Somos Sara e Isabel, estéreis que dão à luz. Vivemos o combate de Jacó, saindo feridos da experiência de resistir a Deus. Como Moisés, deixamos o palácio real para subir à montanha e contemplar o Senhor face à face, retornando com força para libertar o povo. Vivemos a travessia do deserto espiritual, social e moral para atingir a Terra prometida. Somos o rei Davi, o preferido do Senhor e que troca a seriedade da missão por uma noite com Betsabé. Vivemos a angústia de Jeremias: “Seduziste-me, Senhor, e eu me deixei seduzir numa luta desigual”. O profeta sofre, mas não tem retorno, pois o Senhor é um sedutor irresistível para quem o conhece. Passamos pelo desânimo de Elias, que se cansou da provações de Deus, mas não pode parar. Somos Maria, a humilde jovem de Nazaré, escutando um chamado e logo respondendo: “Sou a escrava do Senhor”. Somos também Pedro jurando dar a vida pelo Mestre, mas traindo-o na primeira ocasião. E somos Paulo, tocados pela voz irresistível do Senhor nas estradas das Damasco modernas.

E, pela graça, somos Cristo em Cristo. Ele é o novo Adão, Abel, Abraão, Jacó, Davi, Jeremias, Maria. Vivendo a experiência dos grandes personagens bíblicos, ungidos por Deus, estamos prontos para conhecer o Senhor e experimentar seu amor na Eucaristia. Pela Eucaristia, a Bíblia nos faz antegozar o Reino futuro e já aqui presente. Não empobreçamos nossa vida de fé, vivendo de emoções devotas, mas sem a experiência fundamental do Senhor na Bíblia e na Eucaristia.

, ,

%d blogueiros gostam disto: